Home
O BNDES, o PSI e os Jatinhos

É a hora de abrir um diálogo com você sobre uma polêmica bem frequente.

Por que o BNDES emprestou dinheiro a juros baixos para a compra de jatinhos?

Em 2009, ano em que a economia mundial passava por uma crise financeira, o Governo Federal editou uma medida provisória que buscava impulsionar setores da economia brasileira; era o Programa de Sustentação do Investimento (PSI). O programa tinha como objetivo a oferta de financiamentos com taxas de juros mais baixas para empresas adquirirem tecnologias e produtos feitos aqui no Brasil: caminhões, ônibus, máquinas, equipamentos e aeronaves (inclusive jatinhos).

Então não foi o BNDES que estabeleceu juros baixos...

Não. O BNDES apenas concedeu os financiamentos com as taxas que haviam sido definidas pelo Governo Federal. Qualquer empresa interessada nos itens cadastrados no PSI e com a documentação solicitada em situação regular poderia se candidatar a um financiamento.

A compra destes equipamentos era financiada pelos bancos comerciais com recursos do BNDES. Estes bancos faziam a análise do crédito e assumiam o risco dos empréstimos.

 

Ok, mas e essa história dos jatinhos?

Durante o PSI, o Governo Federal definiu as taxas de juros cobradas e a compra das aeronaves foi financiada pelos bancos comerciais, com recursos do BNDES.

Estes bancos faziam a análise de crédito e assumiam o risco dos empréstimos. Ao todo, foram financiados 134 jatos de tecnologia nacional a um custo total de R$ 1,9 bilhão. Veja mais informações.

As taxas fixadas para o PSI variaram de 2,5% a 8,7% ao ano, bem abaixo do mercado da época. Considerando que o PSI oferecia juros abaixo da taxa básica da economia (Selic) para compra de aeronaves, o custo estimado para o Tesouro Nacional com o subsídio dessas operações foi de R$ 693 milhões em valores corrigidos.

 



E o PSI ainda existe?

Não. O programa foi extinto em 2015.

Ficou claro? Se você tem dúvidas sobre outros casos que nos envolvem e quer conhecer mais sobre as ações do BNDES, dê uma olhada no restante do site. E lembre-se: o BNDES está aberto pra você. Está aberto para o desenvolvimento do Brasil.

Veja também
O BNDES e a JBS